ENVIRONMENTAL INTERPRETATION PROPOSAL IN THE TRILHA DO GALHARDO, PIPA, RIO GRANDE DO NORTE

Abstract

An important strategy for working with environmental education, in a playful, dynamic, and attractive way, is through the environmental interpretation on hiking trails. Thus, the objective of this work is to present a proposal of environmental interpretation for the Trilha do Galhardo, in the Mata da Pipa State Park/RN as an interdisciplinary pedagogical space. This is a qualitative research, which had as data collection tools, a bibliographic survey about the area, field activities to recognize the trail, and demarcation of points where environmental interpretation activities can be carried out. Thus, Trilha do Galhardo can be considered a trail with high interpretive potential, easy access and low level of difficulty, becoming a starting point for the implementation and development of this and other trails in the park.

Author Biographies

Percival Aparecido do Prado, Tibau do Sul City Hall, Brazil

Professor at Tibau do Sul City Hall, Specialization in Environmental Education and Semiarid Geography – IFRN/ZL.

Narla Sathler de Oliveira Musse, Federal Institute of Education of Rio Grande do Norte (IFRN), Brazil

Professor at the Federal Institute of Education, Science and Technology of Rio Grande do Norte (IFRN).

References

AIRES, J. D. M. Histórias e relatos sobre Pipa: a praia internacional do Rio Grande do Norte. 2012. 114f. Dissertação (Mestrado em Ciências Sociais) – Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2012.

BOFF, L. Saber cuidar: Ética do Humano-Compaixão pela Terra. Petrópolis: Vozes, 2004. 199p.

BRASIL. Lei n. 9.795, de 27 de abril de 1999. Dispõe sobre a educação ambiental, institui a Política Nacional de Educação Ambiental e dá outras providências. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L9795.htm. Acesso em: 10 mar. 2017.

BRASIL. Lei n. 9.985 de 18 de julho de 2000. Institui o Sistema Nacional de Unidades de Conservação da Natureza. Disponível em http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9985.htm. Acesso em: 10 mar. 2017.

CAMARGO, C. F. de; COELHO, S. C. A. Aspectos da educação e da interpretação ambiental no Ecoturismo no Brasil. Revista Brasileira de Ecoturismo, v. 14, n. 1, 2021. Disponível em: https://periodicos.unifesp.br/index.php/ecoturismo/article/view/6766. Acesso em: 6 dez. 2021. https://doi.org/10.34024/rbecotur.2021.v14.6766.

CARVALHO, J.; BOÇÓN, R. Planejamento do traçado de uma trilha através da caracterização florística. Revista Floresta, v.34, n. 1, p. 23-32, 2004. Disponível em: https://revistas.ufpr.br/floresta/article/view/2372. Acesso em: 6 dez. 2021. http://dx.doi.org/10.5380/rf.v34i1.2372.

CHAVES, C. F. O uso público de unidades de conservação no Estado do Rio Grande do Norte pela atividade turística: uma análise do plano de manejo do Parque Estadual Mata da Pipa-Canguaretama (RN). 2018. 291f. Monografia (Curso Superior de Tecnologia em Gestão de Turismo) – Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte, 2018.

DIAS, G. F. Educação ambiental: princípios e práticas. 9. ed. São Paulo: Gaia, 2004. 399p.

EISENLOHR et al. Trilhas e seu papel ecológico: o que temos aprendido e quais as perspectivas para a restauração de ecossistemas? Hoehnea, v. 40, n. 3, p. 407-418, 2013. Disponível em: https://www.scielo.br/j/hoehnea/a/r8SBJWmPqnfsq7ZqRxSG5Nw/?format=pdf&lang=pt. Acesso em: 20 dez. 2021. https://doi.org/10.1590/S2236-89062013000300002.

FEMERJ. Metodologia de classificação de trilhas. Documento Técnico. FEMERJ: Nº STE-2015/01. 2015. Disponível em: http://www.femerj.org/wp-content/uploads/FEMERJ-STM-2015-01-metodologia-de-classificacao-de-trilhas.pdf. Acesso em 20 de set. 2020.

GIACOMO, V. Z. Interpretação como instrumento para a educação patrimonial: Complexo Praça da Liberdade. 2006. Monografia (Bacharelado em Turismo) –Instituto de Geociências, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2006.

HANAI, F. Y.; NETTO, J. P. S. Instalações ecoturísticas em espaços naturais de visitação: meios para propiciar a percepção e a interpretação ambientais. OLAM Ciência & Tecnologia, Rio Claro- SP, dezembro, v. 6, n. 2, p. 200-223, 2006.

IKEMOTO, S. M. As trilhas interpretativas e sua relevância para promoção da conservação: Trilha do Jequitibá, Parque Estadual dos Três Picos (PETP), RJ. Niterói: 2008. 170f. Dissertação (Mestrado em Ciência Ambiental) - Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2008.

IDEMA. Plano de Manejo Parque Estadual Mata da Pipa - PEMP. Natal: Instituto Uniemp, 2014. 280p.

QUEIROZ, A. C. A. Práxis ambiental e a educação escolar. 2002. 216f. Tese (Doutorado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Natal, 2002.

RIBEIRO, A. A.; BALSAN, R. Interpretação ambiental: planejamento de uma trilha interpretativa na Trilha dos Namorados em Arraias (TO). Revista Brasileira de Ecoturismo, v. 13, n. 3, 2020. Disponível em: https://periodicos.unifesp.br/index.php/ecoturismo/article/view/6765. Acesso em 6 dez. 2021. https://doi.org/10.34024/rbecotur.2020.v13.6765.

RIO GRANDE DO NORTE, Decreto n. 19.341 de 12 de setembro de 2006. Transforma parcela da Unidade de Conservação da Área de Proteção Ambiental – APA Bonfim/Guaraíras, criada pelo Decreto Estadual nº 14.369, de 22 de março de 1999, no Parque Estadual Mata da Pipa - PEMP, no município de Tibau do Sul. Disponível em: http://adcon.rn.gov.br/ACERVO/idema/DOC/DOC000000000016367.PDF. Acesso em 8 dez. 2020.

RIZZI, M. C. de S. L.; ANJOS, A. C. C. dos. Arte-educação e meio ambiente: apontamentos conceituais a partir de uma experiência de arte-educação e educação ambiental. ARS (São Paulo), v. 8, n. 15, p. 26-35, 2010. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/ars/article/view/3082. Acesso em 3 junho 2020. https://doi.org/10.1590/S1678-53202010000100003.

RODRIGUES, J. G. V.; MOREIRA, S. A., FREIRE, E. M. X. Relevância e estratégias para viabilização da criação de corredores ecológicos em área da Mata Atlântica setentrional. Revista Brasileira de Políticas Públicas, Brasília, v. 10, n. 3. p417-438, 2020. Disponível em https://www.rel.uniceub.br/RBPP/article/view/6624/pdf. Acesso em 9 set. 2020. https://doi.org/10.5102/rbpp.v10i3.6624.

SILVA, T. E.; CRISPIM, M. C.; ANDRADE, M. O. de; REGALA, P. de S. Ecoturismo e Educação Ambiental nas trilhas guiadas no Vale do Capão (BA). Revista Brasileira de Ecoturismo, v. 14, n. 3, 2021. Disponível em: https://periodicos.unifesp.br/index.php/ecoturismo/. Acesso em 3 set. 2020. https://doi.org/10.34024/rbecotur.2021.v14.11416.

SOUSA, P. A. G.; FREIRE, E. M. X. Thermal ecology and thermoregulatory behavior of Coleodactylus natalensis (Squamata: Sphaerodactylidae), in a fragment of the Atlantic Forest of Northeastern. Zoologia, v. 28, n. 6, p. 693–700, dez. 2011. https://doi.org/10.1590/S1984-46702011000600001.
Published
25/03/2024
How to Cite
PRADO, Percival Aparecido do; MUSSE, Narla Sathler de Oliveira. ENVIRONMENTAL INTERPRETATION PROPOSAL IN THE TRILHA DO GALHARDO, PIPA, RIO GRANDE DO NORTE. Geosaberes, Fortaleza, v. 15, p. 77 - 90, mar. 2024. ISSN 2178-0463. Available at: <http://www.geosaberes.ufc.br/geosaberes/article/view/1293>. Date accessed: 23 june 2024. doi: https://doi.org/10.26895/geosaberes.v15i0.1293.
Section
ARTICLES